CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DAS COLECTIVIDADES DE CULTURA, RECREIO E DESPORTO

Capacitação PO ISE 003

Memória Descritiva PO ISE 003

O Projeto a desenvolver pela Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto (CPCCRD), membro do Conselho Nacional de Economia Social, com o apoio do PO ISE, da Portugal 2020, com o objetivo de capacitação da Organização a nível humano, tecnológico, organizativo e participativo contribui para o incremento da sua visibilidade e da sua sustentabilidade, nas várias vertentes. Integra um conjunto de actividades, interrelacionadas, que se descrevem, suportadas nos respectivos recursos.
Em termos globais o projeto tem uma responsável financeira, que é TOC, e uma Coordenadora Geral do Projeto, licenciada em Sociologia e mestrada em economia e política social, Vice-presidente da CPCCRD. A avaliação será contratualizada com uma entidade externa, da área académica.
Com base no diagnóstico de caracterização, de onde se destacam ferramentas como a análise swot, a árvore de problemas e o respectivo quadro de medidas, definimos um conjunto de actividades principais algumas das quais com outras subsidiárias.

Criação de 5 gabinetes de apoio à economia social com polos de atendimento, de Norte a Sul do Pais. Um dos gabinetes ficará na sede da CPCCRD, em Lisboa, com funções de coordenação e regulação.

Cada Gabinete estará equipado com meios técnicos e humanos:

    •  Um colaborador, com contrato de trabalho a termo certo, em part-time, exceto no gabinete central que será um contrato a termo certo, a tempo inteiro;
    •  
    • Três dirigentes associativos, no mínimo, em cada gabinete, em regime de voluntariado, que vão coordenar e apoiar os trabalhos desse gabinete.
    •  
    • Um espaço físico, que poderá ser arrendado, equipado com 3 cadeiras, 2 secretárias, um armário, um computador, ligação à internet, um multifunções, um datashow e um telemóvel;
    •  
    • Acesso pela internet à Plataforma MAP que apoiará a atividade dos gabinetes. Está prevista a implementação de uma Plataforma tecnológica, denominada Plataforma MAP, de Sistemas de Informação que suporte a atividade da Confederação em diversas vertentes. Serão adquiridas ferramentas com parametrização base personalizada a que acrescerá algum desenvolvimento à medida das necessidades da Confederação, incluindo a preparação de uma intranet com workflow de acordo com os processos organizativos da atividade dos gabinetes e que permita fazer a sua monitorização e gestão de forma organizada e eficiente. A Plataforma incluirá também uma área externa ligada ao Portal Web que apoiará a atividade dos consultórios dos gabinetes, nomeadamente com um consultório online, um conjunto de perguntas frequentes que auxilie os colaboradores nas respostas às filiadas, um fórum, e uma área de apoio de novas inscrições.

Haverá ainda uma equipa de pessoal técnico, a nível nacional, que dará apoio a todos os gabinetes.

A contratação será em regime de prestação de serviços e de consultores com o seguinte perfil: jurista, economista/gestor, TOC e técnico de ciências sociais com competências na área de imagem e comunicação.

O gabinete central terá um digitalizador com vista a disponibilizar, online, o acervo documental da Confederação na Mediateca. A cada Gabinete é atribuído um orçamento para despesas de funcionamento e aquisição de consumíveis.

Dos problemas identificados no diagnóstico alguns estão relacionados com a VISIBILIDADE da Instituição, inerente às dificuldades de articulação intra e inter organizacional, o que cria dificuldades na transmissão da mensagem e da própria missão para o exterior.

Definiu-se, desse modo, como objetivo, na lista de prioridades, criar visibilidade nos meios de comunicação social, o que passa pelo aprofundamento das relações internas, de forma estruturada, ancoradas no conhecimento identitário e funcional das filiadas com recurso a ferramentas credíveis.

O desenvolvimento da base de dados existente na CPCCRD e a sua Ligação à base de dados de economia social, com os dados não só das filiadas mas com a possibilidades de acesso às entidades da Economia Social permitindo consulta e actualização, contribui, por um lado para o reconhecimento do papel social da instituição, na melhoria da Eficácia e Eficiência da estrutura associativa e, por outro, para a visibilidade externa da instituição e dos seus objetivos.

O acesso à base de dados da Economia Social, com filiadas da CPCCRD, será integrado na Plataforma MAP, com uma interface específica para o efeito.

A Plataforma MAP, personalizada e com desenvolvimento à medida para suportar a atividade da Confederação nas vertentes institucional, social, de apoio às filiadas, de trabalho em rede, de imagem, de formação e sustentabilidade financeira (e-learning e e-commerce). Com a importância que os Sistemas Informáticos hoje assumem na melhoria da eficiência das organizações, libertando recursos humanos para tarefas com maior valor acrescentado, diagnosticou-se que a escassez de meios tecnológicos na Confederação também configura um problema.

A Plataforma incluirá as seguintes componentes que devem estar todas interligadas:

  1. Portal – Implementação de Portal Institucional com nova imagem e navegação intuitiva, preparado para funcionar em mobiles, com fácil edição da informação, inclusão de notícias, mapa com pesquisa por filiada, formulários diversos incluindo a inscrição de novo associado, perguntas frequentes, divulgação de eventos através de newsletters uma mediateca que permita inserir todo o arquivo documental, informação de eventos e outros registos da Confederação de várias décadas de existência, com acesso a estatísticas detalhadas de utilização do portal;
  2. Intranet :
    1. Para filiadas que incluirá uma área reservada com diversas funcionalidades como boletins informativos, a possibilidade de atualização de dados, um repositório de documentos a partilhar, de trabalho voluntário disponível, de anúncios de cursos, projetos e procura de filiadas, parceiros para os desenvolver, com fórum interno, notícias, etc.
    2. De apoio aos gabinetes.
  3. Alojamento da Plataforma, numa área reservada em servidor durante o projeto, manutenção, assistência e help desk à utilização durante cerca de 16 meses, após a implementação da Plataforma.
  4. Ligação à base de dados da economia social, para o acesso e atualização.

A organização de todo o acervo documental e histórico da Confederação e sua disponibilização através da introdução na Mediateca da Plataforma MAP é muito importante para o desenvolvimento do trabalho em rede. Reafirma identidade e recupera as memórias, ligações, trabalhos, estudos, artigos, projetos, eventos, etc divulgando-os, partilhando as boas práticas e experiências. Nesse sentido está prevista a contratação de uma equipa de especialistas para a realização do trabalho.

A melhoria do desempenho da CPCCRD e das suas filiadas, com a utilização da plataforma, será uma evidência, também, pela maior facilidade de cumprimento de um conjunto de obrigações de natureza formativa, presencial e a distancia, de qualidade, organizacionais, fiscais, etc. Um outro efeito da plataforma, recai na sustentabilidade financeira com a criação da loja online que facilita o processo de cobrança de quotas.

  • Ciclo seminários para troca de experiências, divulgação do projecto, análise e partilha de boas práticas.
    A realização dos Seminários para além dos recursos humanos necessários à sua organização e divulgação (colaboradores da Confederação internos e externos) vai implicar a produção de material de divulgação e material para os eventos, o aluguer de espaço e, eventualmente, a necessidade de serviços especializados como os de gravação do evento, e edição de conclusões.
    Os seminários são destinados a dirigentes associativos e técnicos para troca de experiências e conhecimento, análise e incremento de boas práticas, e disseminação de resultados pelas organizações da economia social nomeadamente através da plataforma MAP.
  •  
  • Estão previstos 5 workshops destinados aos dirigentes associativos e técnicos que, para além dos recursos humanos necessários à sua organização e divulgação (colaboradores daConfederação internos e externos) irão implicar a utilização de espaço e a realização de material de divulgação e material para os eventos.
    Os workshops, temáticos, visam a sensibilização para a qualidade e eficiência nas coletividades.
  •  
  • Uma Revista (publicação anual- com 2 edições durante o projeto) com vista à divulgação das atividades das filiadas da Confederação, de boas práticas, e experiências e à promoção do trabalho em rede. Visa, também, a divulgação do conhecimento produzido sobre o Movimento Associativo Popular pela Economia Social e será um instrumento fundamental para a capacitação de dirigentes e técnicos. Contribui para a disseminação do projeto de capacitação e para a partilha de conteúdos entre a Economia Social.
    Os eventos e materiais deles decorrentes, incluindo a revista, ficarão disponíveis no Portal da Confederação.

Formação a Distância

A Formação a Distância é uma realidade incontornável. Numa época de escassez do recurso tempo, em que a vida dos cidadãos e das organizações tem que se adaptar às necessidades constantes de mudança e da existência de poucos meios, a formação em regime e-learning ou b-learning é uma excelente ferramenta que permite apoiar as entidades associativas através da formação dos seus membros, técnicos e público alvo. Estes podem aprender ao seu ritmo, no seu tempo e sem necessidade de se deslocarem.

Nesse sentido está prevista a implementação da formação a distância através da Plataforma MAP que apoiará a formação presencial e permitirá a realização de formação em e-learning ou m-learning (acesso por mobile).

A Formação a Distância permitirá, não só o desenvolvimento direto de cursos pela e para a Confederação como para a realização de cursos em parceria ou de iniciativa e responsabilidade das coletividades (com ou sem parceria com filiadas ou outras entidades da economia social), contribuindo assim para a sustentabilidade da Confederação.

A ferramenta deverá ter uma imagem atrativa e navegação amigável, permitindo a personalização do layout à medida, podendo ser pré-definidos diferentes templates tipo, em função dos cursos e seus destinatários.

Serão desenvolvidos conteúdos multimédia específicos para integrarem ações informativas e de formação-ação de apoio à utilização da Plataforma MAP pelos diferentes utilizadores.

Loja Online

A possibilidade da Confederação ter um instrumento que de forma semi-automática auxilia na cobrança de quotas das filiadas, mais de 3 800, em Portugal continental e ilhas , através de uma loja online com um adequado sistema de notificações e a produção de relatórios de acompanhamento, é a utilização inicial, prevista para a loja que será preparada para o efeito.

Numa segunda fase pretende-se que esta também fique ligada à formação a distância para que seja possível de forma simples e integrada incluir a venda de cursos, bem como de outros serviços ou produtos.

A Loja e a Formação a Distância para além de estarem ligadas entre si, terão uma conexão aos dados das restantes componentes da Plataforma e com ligação às novas inscrições de filiadas.

OBJETIVO

As intervenções formativas de formação-ação têm por objetivo promover a aquisição e desenvolvimento de competências por forma a capacitar as equipas dinamizadoras dos gabinetes, a estrutura de dirigentes e executiva interna da CPCCRDC e os/as dirigentes pertencentes aos órgãos sociais da CPCCRD. As áreas de capacitação estão definidas de acordo com o diagnóstico prévio de necessidades e de melhoria da CPCCRD (sintetizado na elaboração de uma árvore de problemas, que identifica como problema central a dificuldade em atingir o público-alvo) e com as necessidades da implementação das atividades decorrentes do projeto.

IMPLEMENTAÇÃO:

Capacitação das 5 equipas dinamizadoras dos gabinetes: coordenação, desenvolvimento e avaliação do plano de capacitação das equipas, que integra: formação intra-gabinetes nas áreas do associativismo, atendimento e para responder aos objetivos da atividade, consultoria especializada à medida, para desenvolver soluções e ferramentas de gestão e administração à medida das necessidades.

Capacitação de dirigentes pertencentes aos órgãos sociais da CPCCRD: coordenação, desenvolvimento e avaliação de um curso de formação de base na área do associativismo.

Capacitação da estrutura de dirigentes e executiva interna da CPCCRD: coordenação, desenvolvimento e avaliação do plano anual de formação tendo em vista a aquisição e desenvolvimento de competências nas áreas de liderança, gestão, recursos humanos, associativismo, administração, contabilidade, TIC, etc; realização e avaliação das intervenções de consultoria especializada e de ligação, tendo em vista o desenvolvimento de soluções e ferramentas de gestão e administração à medida das necessidades.

Capacitação de dirigentes e técnicos da CPCCRD para utilizarem a Plataforma MAP nas suas várias funcionalidades e em função do perfil de utilizador.

6.1. Intervenção de formação-ação de ligação com estrutura de dirigentes e executiva da CPCCRD (CAPACITAÇÃO DE DIRIGENTES, TÉCNICOS E OUTROS ASSOCIATIVISTAS)

ENQUADRAMENTO:

Esta intervenção enquadra-se na atividade de Capacitação de Dirigentes, Técnicos e Outros Associativistas.

OBJETIVO:

Contribuir para a capacitação da estrutura de dirigentes e executiva da CPCCRD através da participação dos/as elementos dessa estrutura nas várias fases do processo da própria capacitação, incluindo:

  1. Identificação das suas próprias necessidades de melhoria organizacional, a nível da aquisição/desenvolvimento de competências e de projetos de melhoria desta estrutura;
  2. Definição dos objetivos pedagógicos de cada plano anual de formação, que visam a aquisição/desenvolvimento de competências de dirigentes e colaboradores/as tendo em conta as suas áreas funcionais,
  3. Definição dos objetivos pedagógicos das intervenções anuais de formação-ação especializadas e à medida, que visam a concessão/implementação de ferramentas e soluções específicas de administração e gestão, em áreas organizacionais que necessitam de maior eficácia, eficiência ou inovação,
  4. Monitorização e revisão dos resultados obtidos com o plano anual de formação e com as intervenções anuais de formação-ação especializadas e à medida,
  5. Elaboração de recomendações para a melhoria organizacional contínua, a nível da aquisição/desenvolvimento de competências e de projetos de melhoria desta estrutura.

DESTINATÁRIOS:

Colaboradores/as e dirigentes pertencentes aos órgãos sociais da CPCCRD.

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

Formação-ação presencial em posto de trabalho e reuniões de grupo.

IMPLEMENTAÇÃO:

Serão realizadas 2 intervenções (uma em 2016 e outra em 2017) com a duração de 50 horas/ano.

RESULTADOS:

Anualmente, produção de um relatório inicial relativo às fases 1, 2 e 3 e um relatório final relativo às fases 4 e 5; realização de 100 horas de formação-ação no total dos dois anos; respetivos dossiers técnico-pedagógicos das intervenções realizadas; participação de 30 formandos/as nestas intervenções de formação-ação; 75% dos/as participantes dão respostas positivas quanto à melhoria das suas competências.

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

Monitorização do processo durante a sua implementação e avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final
GESTÃO DA ATIVIDADE: pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projeto, coordenação externa e monitoragem externa da atividades de formação-ação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente
DISSEMINAÇÃO DA ATIVIDADE: criação e distribuição de materiais de divulgação e atualização de conteúdos para a Plataforma MAP e redes sociais.

6.2. Plano anual de formação da estrutura de dirigentes e executiva da (CAPACITAÇÃO DE DIRIGENTES, TÉCNICOS E OUTROS ASSOCIATIVISTAS)

ENQUADRAMENTO:

Esta intervenção enquadra-se na atividade de Capacitação de Dirigentes, Técnicos e Outros Associativistas.

OBJETIVO:

Promover a aquisição e desenvolvimento de competências específicas de dirigentes e colaboradores/as da CPCCRD tendo em conta as suas áreas funcionais, que respondam a objetivos de melhoria organizacional anuais previamente identificados, nas áreas da liderança, estratégia, gestão financeira, organização interna, comunicação, contabilidade e fiscalidade, secretariado e atendimento, recursos humanos, TIC, gestão do associativismo, relações inter-institucionais e parcerias, entre outras.

DESTINATÁRIOS:

Colaboradores/as e dirigentes pertencentes aos órgãos sociais da CPCCRD.

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

Formação presencial em sala.

IMPLEMENTAÇÃO:

Serão implementados 2 planos anuais de formação (uma em 2016 e outra em 2017) com a duração de 28 horas/ano.

RESULTADOS:

Realização de plano anual de formação com um total de 56 horas de formação ministradas nos 2 anos; respectivos dossiers técnico-pedagógicos; participação de 30 formandos/as nestas ações formação; 75% dos/as participantes dão respostas positivas quanto à melhoria das suas competências.

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

Monitorização do processo durante a sua implementação e avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final.

GESTÃO DA ATIVIDADE:

Pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projeto, coordenação externa e monitoragem externa das atividades de formação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente.

DISSEMINAÇÃO DA ATIVIDADE:

Criação e distribuição de materiais de divulgação e atualização de conteúdos para a Plataforma MAP e redes sociais.

6.3. Intervenção de formação-ação especializada e à medida para a da estrutura de dirigentes e executiva da CPCCRD (CAPACITAÇÃO DE DIRIGENTES, TÉCNICOS E OUTROS ASSOCIATIVISTAS)

ENQUADRAMENTO:

esta intervenção enquadra-se na actividade de Capacitação de Dirigentes, Técnicos e Outros Associativistas

OBJETIVO:

promover a realização de projetos de melhoria através da concepção/implementação de ferramentas e soluções específicas de administração e gestão em áreas organizacionais que necessitam de maior eficácia, eficiência ou inovação, que respondam a objetivos de melhoria organizacional anuais previamente identificados, nas áreas da liderança, estratégia, gestão financeira, organização interna, comunicação, contabilidade e fiscalidade, secretariado e atendimento, recursos humanos, TIC, gestão do associativismo, relações inter-institucionais e parcerias, entre outras.

DESTINATÁRIOS:

colaboradores/as e dirigentes pertencentes aos órgãos sociais da CPCCRD

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

formação-ação presencial em posto de trabalho e em reuniões de grupo

IMPLEMENTAÇÃO:

anualmente serão realizadas 4 intervenções de 21 horas cada, num total de 84 horas de formação-ação / ano

RESULTADOS:

realização de plano anual de intervenção de formação-ação especializada e à medida com uma duração total de 168 horas nos dois anos; respetivos dossiers técnico-pedagógicos; participação previsível de 100 formandos/as nestas intervenções de formação-ação; 75% dos/as participantes dão resposta positiva quanto à melhoria das suas competências

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

monitorização do processo durante a sua implementação e avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final

GESTÃO DA ATIVIDADE:

pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projeto, coordenação externa e monitoragem externa das atividades de formação-ação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente

DISSEMINAÇÃO DA ATIVIDADE:

criação e distribuição de materiais de divulgação e atualização de conteúdos para a Plataforma MAP e redes sociais.

6.4. Formação de base dos/as dirigentes associativos dos órgãos sociais da CPCCRD (CAPACITAÇÃO DE DIRIGENTES, TÉCNICOS E OUTROS ASSOCIATIVISTAS)

ENQUADRAMENTO:

esta intervenção enquadra-se na actividade de Capacitação de Dirigentes, Técnicos e Outros Associativistas

OBJETIVO:

esta formação responde à necessidade de conferir uma formação de base inicial a todos/as os/as dirigentes associativos, tendo em vista a sua capacitação para o exercício de funções em órgãos sociais da CPCCRD e das coletividades que representam; neste contexto a formação integra conteúdos na área de: história do movimento associativo popular e da CPCCRD, estatuto do/a dirigente associativo voluntário, enquadramento jurídico, fiscal e contabilístico das coletividades, procedimentos e funções estatutárias, liderança e estratégia nas coletividades

DESTINATÁRIOS:

dirigentes pertencentes aos órgãos sociais da CPCCRD

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

Formação presencial em sala, organizada descentralizadamente em 4 locais a definir pelo território nacional, em instalações de coletividades identificadas em função da proveniência dos/as formandos/as, tendo em vista uma maior proximidade e racionalização de custos

IMPLEMENTAÇÃO:

anualmente serão realizadas 4 ações de 14 horas cada, num total de 56 horas de formação por ano

RESULTADOS:

realização de 112 horas de formação durante os dois anos; dossiers técnico-pedagógicos das ações realizadas; participação de 96 formandos/as nestas ações de formação; 75% dos/as participantes dão respostas positivas quanto à melhoria das suas competências

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final

GESTÃO DA ATIVIDADE:

pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projeto, coordenação externa e monitoragem externa das atividades de formação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente

DISSEMINAÇÃO DA ATIVIDADE:

criação e distribuição de materiais de divulgação e atualização de conteúdos para a Plataforma MAP e redes sociais

6.5. Plano anual de formação, intra-gabinetes, de apoio da CPCCRD (CRIAÇÃO DE 5 GABINETES DE APOIO)

ENQUADRAMENTO:

esta intervenção enquadra-se na atividade de Criação de 5 Gabinetes de Apoio

OBJETIVO:

promover a aquisição e desenvolvimento de competências específicas de dirigentes e colaboradores/as que integram os gabinetes de apoio tendo em conta as suas áreas funcionais e as áreas de atuação dos gabinetes, que respondam a objetivos de melhoria organizacional anuais previamente identificados, nas áreas da liderança, estratégia, gestão financeira, organização interna, comunicação, contabilidade e fiscalidade, secretariado e atendimento, recursos humanos, TIC, gestão do associativismo, relações inter-institucionais e parcerias, entre outras.

DESTINATÁRIOS:

dirigentes e colaboradores/as afetos a cada gabinete

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

Formação presencial em sala intra-gabinete, organizada descentralizadamente nos locais de funcionamento de cada um dos 5 gabinetes

IMPLEMENTAÇÃO:

em cada gabinete serão implementados 2 planos anuais de formação (um em 2016 e outro em 2017) com a duração de 35 horas/ano

RESULTADOS:

realização de um total de 350 horas de formação durante os dois anos; respectivos dossiers técnico-pedagógicos; participação de 40 formandos/as nestas ações de formação; 75% dos/as participantes dão respostas positivas quanto à melhoria das suas competências

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

monitorização do processo durante a sua implementação e avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final

GESTÃO DA ATIVIDADE:

pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projeto, coordenação externa e monitoragem externa das atividades de formação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente

DISSEMINAÇÃO DA ACTIVIDADE:

criação e distribuição de materiais de divulgação e atualização de conteúdos para a Plataforma MAP e redes sociais.

6.6 Intervenções de formação-acção especializada nos gabinetes de apoio da CPCCRD (CRIAÇÃO DE 5 GABINETES DE APOIO)

ENQUADRAMENTO:

esta intervenção enquadra-se na atividade na atividade de Criação de 5 Gabinetes de Apoio

OBJETIVO:

em cada gabinete, promover a realização de projetos de melhoria através da conceção/implementação de ferramentas e soluções específicas de administração e gestão em áreas organizacionais que necessitam de maior eficácia, eficiência ou inovação, que respondam a objetivos de melhoria organizacional anuais previamente identificados, nas áreas da liderança, estratégia, gestão financeira, organização interna, comunicação, contabilidade e fiscalidade, secretariado e atendimento, recursos humanos, gestão do associativismo, relações inter-institucionais e parcerias, entre outras.

DESTINATÁRIOS:

dirigentes e colaboradores/as afetos/as a cada gabinete

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

Formação-ação presencial em posto de trabalho e em reuniões de grupo intra-gabinete, organizada descentralizadamente nos locais de funcionamento de cada um dos 5 gabinetes

IMPLEMENTAÇÃO:

em cada um dos 5 gabinetes, nos 2 anos de projeto, serão realizadas 2 intervenções de 21 horas cada, num total de 42 horas de formação-ação /por gabinete

RESULTADOS:

realização de um total de 210 horas de formação-ação especializada e à medida, durante os dois anos; respectivos dossiers técnico-pedagógicos; participação de 40formandos/as nestas intervenções de formação-ação; 75% dos/as participantes dão respostas positivas quanto à melhoria das suas competências

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

monitorização do processo durante a sua implementação e avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final

GESTÃO DA ATIVIDADE:

pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projeto, coordenação externa e monitoragem externa das atividades de formação-ação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente

DISSEMINAÇÃO DA ACTIVIDADE:

criação e distribuição de materiais de divulgação e atualização de conteúdos para a Plataforma MAP e redes sociais

6.7. Workshops formativos inter-gabinetes de apoio da CPCCRD (CRIAÇÃO DE 5 GABINETES DE APOIO)

ENQUADRAMENTO:

esta intervenção enquadra-se na atividade na actividade de Criação de 5 Gabinetes de Apoio

OBJETIVO:

organizar sessões temáticas que respondam a necessidades partilhadas de planeamento, aprendizagem e reflexão que visem o aprofundamento das relações inter-gabinetes, a melhoria do funcionamento, a sustentabilidade, a colaboração e o trabalho em rede

DESTINATÁRIOS:

dirigentes e colaboradores/as afetos/as aos 5 gabinete e representantes da estrutura de dirigentes da CPCCRD

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

Formação presencial em sala, inter-gabinetes, organizada descentralizadamente preferencialmente nos locais de funcionamento dos 5 gabinetes

IMPLEMENTAÇÃO:

anualmente, serão organizados 4 workshops formativos de 7 horas cada, num total de 28 horas de formação / ano

RESULTADOS:

realização de um total de 56 horas de formação nos dois anos; respetivos dossiers técnico-pedagógicos; participação de 120 formandos/as nestas ações de formação; 75% dos/as participantes dão respostas positivas quanto à melhoria das suas competências

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

monitorização do processo durante a sua implementação e avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final

GESTÃO DA ATIVIDADE:

pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projeto, coordenação externa e monitoragem externa das atividades de formação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente

DISSEMINAÇÃO DA ATIVIDADE:

criação e distribuição de materiais de divulgação e actualização de conteúdos para a Plataforma MAP e redes sociais.

6.8 Formação-ação para dirigentes no domínio tecnológico – Plataforma MAP.

ENQUADRAMENTO:

esta intervenção enquadra-se na actividade de Capacitação de Dirigentes e Outros Associativistas

OBJECTIVO:

promover a aquisição e desenvolvimento de competências específicas de dirigentes da CPCCRD demonstrar as funcionalidades da Plataforma e como pode ser utilizada pelos dirigentes, dotando-os do conhecimento tecnológico base para a sua utilização.

DESTINATÁRIOS:

100 dirigentes pertencentes aos órgãos sociais da CPCCRD

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

Formação presencial em sala

IMPLEMENTAÇÃO:

Serão implementados em 2 sessões de 4 horas cada.

RESULTADOS:

Realização de um total de 80 horas de formação-ação especializada e à medida, relatórios de utilização da plataforma e respectivos dossiers técnico-pedagógicos; participação de 100 formandos/as nestas intervenções de formação-ação; 75% dos/as participantes dão respostas positivas quanto à melhoria das suas competências

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

monitorização do processo durante a sua implementação e avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final

GESTÃO DA ACTIVIDADE:

pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projecto, coordenação externa e monitoragem externa das actividades de formação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente

DISSEMINAÇÃO DA ACTIVIDADE:

materiais de utilização na ferramenta de formação a distância.
Nesta formação estão previstas 10 ações para 10 dirigentes, de 8 horas, em diferentes zonas dos pais. O principal contexto é a utilização da Plataforma MAP, para o trabalho em rede Na formação está previsto o apoio da Plataforma de Formação a Distância, através do desenvolvimento de conteúdos multimédia.

Os materiais utilizados nas diversas ações de formação ficarão disponíveis na Plataforma MAP.

6.9 Formação -Ação Tecnológica dos técnicos do Gabinete de Apoio

ENQUADRAMENTO:

esta intervenção enquadra-se na actividade de capacitação tecnológica dos técnicos dos gabinetes de apoio.

OBJECTIVO:

promover a sua capacitação para utilização da Plataforma MAP, nas diversas vertentes, em especial na intranet e funcionalidades dos gabinetes de apoio.

DESTINATÁRIOS:

12 Técnicos dos Gabinetes de Apoio da CPCCRD

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

Formação-acção b-learning, com 20 horas presenciais e 20 a distância, utilizando a Plataforma MAP, distribuídas por 4 semanas.

IMPLEMENTAÇÃO:

4 sessões presenciais de 4 horas cada e 4 semanas de frequência da formação a distância.

RESULTADOS:

Realização de um total de 40 horas de formação-ação especializada e à medida, relatórios de utilização da plataforma e respectivos dossiers técnico-pedagógicos; participação de formandos/as nestas intervenções de formação-ação; 75% dos/as participantes dão respostas positivas quanto à melhoria das suas competências.

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

monitorização do processo durante a sua implementação e avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final

GESTÃO DA ACTIVIDADE:

pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projecto, coordenação externa e monitoragem externa das actividades de formação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente

DISSEMINAÇÃO DA ACTIVIDADE:

materiais multimedia na ferramenta de formação a distância da Plataforma MAP.

6.10 Formação-Ação Gestores e Administradores Plataforma MAP

ENQUADRAMENTO:

esta intervenção enquadra-se na actividade de capacitação tecnológica dos gestores e administradores da Plataforma MAP

OBJECTIVO:

promover a sua capacitação como administradores/gestores da Plataforma MAP, nas diversas vertentes, em especial no acompanhamento da organização interna e processos dos gabinetes, emissão e consulta de relatórios de vendas, formação, portal e intranet, gestão de utilizadores.

DESTINATÁRIOS:

Coordenador do Projeto, Dirigentes dos gabinetes e técnicos designados pela direção da CPCCRD

FORMA DE ORGANIZAÇÃO:

Formação-acção b-learning, com 20 horas presenciais e 20 a distância, utilizando a Plataforma MAP, distribuídas por 4 semanas.

IMPLEMENTAÇÃO:

4 sessões presenciais de 4 horas cada e 4 semanas de frequência da formação a distância.

RESULTADOS:

Realização de um total de 40 horas de formação-ação especializada e à medida, relatórios de utilização da plataforma e respectivos dossiers técnico-pedagógicos; participação de 12 formandos/as nestas intervenções de formação-ação; 75% dos/as participantes dão respostas positivas quanto à melhoria das suas competências.

MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO:

monitorização do processo durante a sua implementação e avaliação da qualidade e da satisfação final, com elaboração de síntese avaliativa final

GESTÃO DA ACTIVIDADE:

pessoal interno da CPCCRD de coordenação e gestão do projecto, coordenação externa e monitoragem externa das actividades de formação por pessoal técnico e formadores/as da entidade formadora externa interveniente

DISSEMINAÇÃO DA ACTIVIDADE:

materiais multimédia na ferramenta de formação a distância da Plataforma MAP.

OUTRAS ACTIVIDADES

Todas as intervenções formativas contemplam a coordenação técnico-pedagógica da atividade formativa, incluindo a realização das seguintes atividades, conforme procedimentos certificados pela DGERT da entidade formadora selecionada:

  • – Planeamento da formação,
  • – Divulgação da formação,
  • – Recrutamento e selecção de formadores/as,
  • – Inscrição de formandos/as,
  • – Monitoragem da formação,
  • – Avaliação,
  • – Certificação.

De cada ação de formação decorre a elaboração de um dossier técnico-pedagógico, com evidências do processo realizado, de acordo com a legislação em vigor aplicável e procedimentos certificados pela DGERT da entidade formadora selecionada.

7.1. ÂMBITO E OBJETIVOS DA AVALIAÇÃO

O objetivo desta etapa do programa é avaliar em que medida as atividades desenvolvidas foram eficientes e eficazes, ou seja, se capacitaram os corpos sociais, gabinetes e estruturas directivas da CPCCRD. A avaliação será concebida enquanto processo que visa identificar o grau de execução e os resultados/impactos do programa na capacitação institucional das organizações da economia social membros do Conselho Nacional para a Economia Social (CNES).

Os objetivos específicos da avaliação são múltiplos, destacando-se:

  • – Acompanhar a execução do programa, nomeadamente as condições em que decorre, as dinâmicas criadas, as dificuldades e obstáculos surgidos;
  • – Contribuir para a garantia de qualidade na execução do projeto;
  • – Analisar, compreender e comparar a execução e os resultados alcançados pelas atividades desenvolvidas no projeto, ao nível dos órgãos sociais, gabinetes e estrutura diretiva;
  • – Determinar a qualidade global do projeto e retirar lições do processo, que possam ser úteis em futuros programas de natureza semelhante;
  • – Aprofundar o conhecimento da economia social em Portugal, muito em particular do funcionamento dos diferentes tipos de organizações e dos seus processos de capacitação.

7.2. METODOLOGIA GERAL

A atividade de avaliação decorrerá em dois momentos principais:

  • Avaliação intermédia realiza-se a meio do projeto de capacitação;
  • Avaliação final – decorre no final do projeto.

A avaliação intermédia realiza-se a meio do projeto e pretende analisar o modelo de organização adoptado para a implementação do projeto e, muito em particular, o seu potencial na criação de condições que permitam alcançar os objetivos pretendidos, assim como eventuais limitações e formas de as corrigir. Nesta fase é necessário construir um conjunto de indicadores para recolha de informação sobre o projeto, que irão permitir elaborar as bases do Relatório Intermédio, nomeadamente ao nível das expectativas dos intervenientes, a avaliação da execução e dos resultados/impactos parcelares, assim como a compreensão de eventuais dificuldades/obstáculos e formas de as/os ultrapassar.

A fase de avaliação final decorrerá no final do projeto e pretende verificar se o mesmo é eficiente e eficaz e contribui para a introdução de mudanças que conduzem à capacitação institucional de organizações da economia social membros do CNES. Nesta fase é necessário construir um conjunto de indicadores para recolha de informação sobre o projeto, que irão permitir elaborar as bases do Relatório Final, nomeadamente a avaliação da execução (indicadores de atividades concluídas) e dos resultados/impactos.

O processo de observação e recolha de informação será realizada ao longo do projeto. De uma forma geral, utilizar-se-ão os seguintes métodos e técnicas de recolha de informação: análise documental; observação participante, entrevistas (individuais e de grupo); e inquérito por questionário a órgãos sociais, gabinetes e estruturas directivas e executivas. 

7.3. CRITÉRIOS GERAIS DE REFERÊNCIA

A avaliação deverá obter respostas, fundamentadas e sustentadas em critérios gerais de referência:

  • a) Eficiência: determina se os resultados foram obtidos ao menor custo possível ou numa relação custo/benefício óptima;
  • b) Eficácia: avalia os resultados obtidos, nomeadamente em que medida correspondem aos objetivos fixados;
  • c) Impacte do projeto: identifica os efeitos (previstos e imprevistos), nomeadamente aos nível social, cultural, económico, financeiro e ambiental;
  • d) Relevância do projeto: determina se resultados atingidos vão ao encontro às expectativas dos stakeholders;
  • e) Sustentabilidade do projeto: estima se efeitos do projeto perdurarão após a sua conclusão.

7.4. ATIVIDADES E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

As atividades de avaliação seguirão de perto o plano de atividades do projeto a seguir apresentado:

  • 1) Criação de 5 gabinetes de apoio
  • 2) Desenvolvimento de bases de dados da economia social da Confederação
  • 3) Criação de condições de trabalho em rede, via plataforma MAP, a nível nacional e Europeu
  • 4) Ações de sensibilização, informação e partilha do conhecimento.
  • 5) Desenvolvimento, inovação e empreendedorismo associadas às TIC, via plataforma MAP
  • 6) Intervenções formativas de formação-ação

Assim, tendo em conta os dois momentos de avaliação, serão realizadas as seguintes atividades de avaliação a desenvolver ao longo do projeto:

  • Avaliação intermédia:
    • – Recolha de evidências sobre o modelo de organização adoptado para a implementação do projeto e, muito em particular, o seu potencial na criação de condições que permitam alcançar os objetivos pretendidos, assim como eventuais limitações e formas de as corrigir, nomeadamente: Expectativas dos intervenientes; Execução e os resultados/impactos parcelares; e Compreensão de eventuais dificuldades/obstáculos e formas de as/os ultrapassar.

Essa recolha será realizada tendo em conta as seis atividades descritas acima, através de análise documental, observação participante e realização de entrevistas a informantes-chave.

  • – Elaboração do relatório intermédio.
  •  
  • Avaliação final:
    • – Recolha de evidências sobre a eficiência, eficácia e contribuição para a mudança do projeto, na sua globalidade (isto é, considerando as seis atividades descritas), incidindo a avaliação em dois níveis de análise: grau de execução (atividades concluídas) e resultados/impacto.

A recolha da informação será realizada tendo em conta as seis atividades, através de análise documental, observação participante, realização de entrevistas a informantes-chave e inquirição por questionário a órgãos sociais, gabinetes e estruturas directivas e executivas.

  • – Elaboração do relatório final.

Os guiões estruturados a aplicar nas entrevistas presenciais e nos questionários a intervenientes considerados pertinentes, procurarão clarificar, complementar e aprofundar algumas questões relacionadas com as metas (e respetivos indicadores) estabelecidas para cada uma das atividades a desenvolver no projeto, nos dois níveis de análise – Execução e Resultados.

Metas e indicadores de atividades concluídas (Execução)

  1. Criação de 5 gabinetes de apoio em plena atividade com todas as funções ativas. Comprovativos pelos relatórios de intranet da atividade e acesso online e por verificação física.
  2. Desenvolvimento de bases de dados da economia social da Confederação, com os dados dos membros e com meios para a sua atualização. Comprovativos pelos relatórios e acesso online.
  3. Criação de condições de trabalho em rede, via plataforma MAP, a nível nacional e Europeu, incluindo a preparação de mediateca com o acervo histórico/documental da Confederação disponível às associadas e a outras organizações da economia social. Comprovativos pelos relatórios e acesso online.
  4. Ações de sensibilização, informação e partilha do conhecimento comprovadas através de relatórios e atas dos eventos e possibilidade de verificação física.
  5. Desenvolvimento, inovação e empreendedorismo associadas às TIC, via plataforma MAP para cobrança de quotas de associados e venda de cursos. Integradas na Plataforma MAP. Comprovativos pelos relatórios e acesso online.
  6. Intervenções formativas de formação-ação prevista no projeto para 100 dirigentes e pessoal interno e externo da Confederação, verificada através da informação do dossier pedagógico e possibilidade de verificação presencial.

Metas e Indicadores de resultados

  1. Criação de 5 gabinetes de apoio: Inquirição a 100 dirigentes (taxa de resposta de 70%) e destes com respostas positivas de 75 % quanto ao reforço da sua capacitação organizacional.
  2. Desenvolvimento de bases de dados da economia social da Confederação: Inquirição a 60 dirigentes (taxa de resposta de 70%) e destes com respostas positivas de 75 % quanto à agilização das relações intra organizacionais.
  3. Criação de condições de trabalho em rede, via plataforma MAP, a nível nacional e europeu: Inquirição a 100 dirigentes (taxa de resposta de 70%) e destes com respostas positivas de 75 % quanto à eficiência e eficácia do trabalho em rede e consequente melhoria do desempenho associativo.
  4. Ações de sensibilização, informação e partilha do conhecimento destinadas aos corpos sociais da Confederação: Inquirição a 100 dirigentes (taxa de resposta de 70%) e destes com respostas positivas de 75 % quanto à troca de experiências, trabalho em rede e boas práticas nas organizações da economia social e do seu peso na inclusão e no desenvolvimento.
  5. Desenvolvimento, inovação e empreendedorismo associadas as TIC, via plataforma MAP: Relatórios de participação nas ações de formação-ação de pelo menos 40% dos inscritos e relatórios que evidenciem o aumento de cobrança de quotas das associadas.
  6. Intervenções formativas de formação-ação: Inquirição a 70% dos formandos e destes com respostas positivas de 75 % quanto à melhoria das suas competências.

Principais objectivos:

  1. Esta atividade, ancorada nos relatórios de avaliação do projecto, vai apurar junto dos dirigentes, técnicos e outros associativistas abrangidos, em que medida o projeto melhorou o seu conhecimento e desempenho nas organizações e de que modo contribuiu para a sua sustentabilidade e autonomia.
  2. A realização de um estudo de opinião, dará conta de algumas alterações organizacionais, nos diversos domínios, com destaque para a utilização das novas tecnologias com vista a melhoria dos processos de trabalho intra e inter redes, pressupostos fundamentais de animação da Economia Social.
  3. O estudo evidenciará as práticas bem-sucedidas dissemináveis e de fácil apropriação pelas filiadas da CPCCRD e por outras entidades da Economia Social.
  4. Como resultados globais visa constituir um “estudo referência” na Economia Social. Inclui a caracterização institucional da Organização CPCCRD e a sua relevância em termos de “Inclusão, Capacitação, Intervenção e Desenvolvimento”, bem como as potencialidades para o desenvolvimento do associativismo.

O processo de observação e recolha de informação necessária á produção do estudo será realizado ao longo do projecto. Utilizará como fonte os relatórios de avaliação e eventual recolha de informação complementa suportada em metodologia adequada.

Todos serviços contratualizados externamente estão sujeitos às regras de contratação pública.

Comments are closed.

Copy link
Powered by Social Snap