CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DAS COLECTIVIDADES DE CULTURA, RECREIO E DESPORTO

Capacitação POISE 288

SOBRE O PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO 

PO.ISE são as iniciais de PROGRAMA OPERACIONAL DE INCLUSÃO SOCIAL E EMPREGO. Um programa do FUNDO SOCIAL EUROPEU que tem por objetivo apoiar ações promotoras de maior inclusão social, melhor emprego, combate à pobreza e à discriminação.

No eixo 3.36 do PO.ISE insere-se o Programa de Capacitação Institucional das Organizações da Economia Social Membros do CNESCONSELHO NACIONAL DA ECONOMIA SOCIAL. Este programa teve início em 2015, vai estender-se até 2022 e como a própria designação indica é dirigido às entidades que integram o CNES, nomeadamente:

  • ANIMAR – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local
  • CNIS – Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade
  • CONFAGRI – Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal
  • CONFECOOP – Confederação Cooperativa Portuguesa
  • CPCCRD – Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto
  • CPF – Centro Português de Fundações
  • UMP – União das Misericórdias Portuguesas
  • UMP – União das Mutualidades Portuguesas

O Programa de Capacitação preconiza:

  • O apoio à realização de ações destinadas a promover a capacitação institucional nas áreas da inovação e do empreendedorismo social, potenciando as boas práticas a nível nacional e internacional;
  • A criação de plataformas web que permitam a gestão e partilha de dados;
  • O reforço da capacidade institucional, promovendo o trabalho em rede (a nível nacional e europeu); promovendo análises, formações, estudos e boas práticas;
  • A implementação de soluções inovadoras no âmbito da economia social, que visem uma melhor gestão e sustentabilidade das organizações.

No caso da Confederação Portuguesa das Colectividades, o Programa é dirigido a todos/as os/as Dirigentes e trabalhadores/as da Confederação, das Estruturas Descentralizadas (Federações Distritais e Associações Concelhias) e, também, das Coletividades ELO.  

Mais de 300 as pessoas estão inscritas no PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DA CONFEDERAÇÃO DAS COLECTIVIDADES.

A lista de iniciativas que estão a ser concretizadas de norte a sul do país e que envolvem, também, 6 países da União Europeia (Espanha, França, Alemanha, Suiça, Luxemburgo e Reino Unido) é extensa e diversificada, destacamos:

  • A criação de Gabinetes Polos de Atendimento à Economia Social  em Ermesinde, Lisboa, Beja e na Covilhã . 
  • O Curso de Estudos Avançados em Gestão e Dinamização Associativa (Universidade Lusófona de Lisboa e do Porto). 
  • Formações-ação certificadas, com matérias específicas para Dirigentes e trabalhadores/as. 
  • Campanhas e Sessões de Sensibilização – O ASSOCIATIVISMO VAI DAR A VOLTA A PORTUGAL.
  • Desenvolvimento de uma plataforma para o MOVIMENTO ASSOCIATIVO POPULAR – MAP.

Os/As dirigente das Estruturas Descentralizadas da Confederação Portuguesa das Colectividades podem participar no  PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO. Para tal, por favor, basta preencherem a Ficha de Inscrição e a AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DOS DADOS PESSOAIS E IMAGEM NO ÂMBITO DA OPERAÇÃO DE CAPACITAÇÃO.

ATIVIDADE 1 – GABINETES POLOS DE ATENDIMENTO À ECONOMIA SOCIAL

  • – Atendimento às Filiadas e não Filiadas das respetivas áreas.
  • – Promoção do contacto e o incremento das parcerias com as entidades locais dos vários setores.
  • – Coordenação da calendarização e participação nas ações com os diversos intervenientes estratégicos.
  • – Contínua atualização das bases de dados de Filiadas e de Dirigentes.
  • – Divulgação das iniciativas da Portugal 2020 (informando sobre os avisos para novas candidaturas e dando assessoria na sua elaboração).
  • – Negociação de parcerias e de permutas para incremento da visibilidade da CONFEDERAÇÃO DAS COLECTIVIDADES (rádios locais, imprensa escrita regional, organizadores de Feiras profissionais, etc.).
  • – Estabelecimento de redes de proximidade e promoção de trabalho com as Filiadas e outras Coletividades da Economia Social. 

Gabinete Polo de Atendimento em BEJA (GPA Sul) serve os distritos de Beja, Évora, Faro e Portalegre

Gabinete Polo de Atendimento em COVILHÃ (GPA Centro) serve os distritos de Castelo Branco, Coimbra Guarda e Viseu

Gabinete Polo de Atendimento em ERMESINDE (GPA Norte) serve os distritos de Aveiro, Braga, Bragança, Porto, Viana do Castelo e Vila Real

Gabinete Polo de Atendimento em LISBOA (GPA Coordenação) serve os distritos de Leiria, Lisboa, Santarém e Setúbal

ATIVIDADE 2 – APRESENTAR, SENSIBILIZAR, PARTILHAR, PROMOVER E INFORMAR – ASSOCIATIVISMO

  • – Ações de promoção e informação de trabalho em rede
  • – Ações de Apresentação, Análise e Avaliação do Projeto
  • – O Associativismo Vai Dar a Volta a Portugal 
  • – Eventos de Apresentação e Divulgação Plataforma MAP 
  • – Congresso de Encerramento da Fase II do Programa de Capacitação 

ATIVIDADE 3 – AVALIAÇÃO DO IMPACTO DO PROJETO E ESTUDO DE OPINIÃO

  • – Acompanhamento da execução do programa, nomeadamente as condições em que decorre, as dinâmicas criadas, as dificuldades e obstáculos surgidos.
  • – Perceber a distância percorrida, o deve e o haver entre o “ponto de partida” e o “ponto de chagada”.
  • – Contributo para a garantia de qualidade na execução do projeto.
  • – Analisar, compreender e comparar a execução e os resultados das atividades desenvolvidas no projeto.
  • – Identificar boas práticas para a Economia Social, que possam ser replicadas e disseminadas.
  • – Aprofundar o conhecimento dos Atores da Economia Social em Portugal.

ATIVIDADE 4 – Agenda da Economia Social através da Plataforma MAP

  • – Desenvolver novas funcionalidades na PLATAFORMA MAP
  • – Promover os eventos Associativos.
  • – Dar visibilidade ao movimento Associativo.
  • – Promover a partilha de recursos.
  • – Alargar o âmbito geográfico da comunicação de eventos e projetos.

Mais funcionalidades, disponibilizadas de forma simplificada e intuitiva.

Uma Agenda disponível a todos os/as cidadãos/ãs, é uma mais valia para a sociedade e claro para as Coletividades, pois quanto maior for a sua visibilidade, maior é o potencial de visitantes ou participantes, aumentando a sustentabilidade das Associações e a disseminação do seu trabalho. Pretende-se que esta venha a ser a Agenda MAP do país.

Com a PLATAFORMA MAP concretiza-se a ligação da CONFEDERAÇÃO DAS COLECTIVIDADES às suas Filiadas, promovendo uma cultura de proximidade. Quanto maior for o número de Coletividades Filiadas maior é o potencial de funcionamento de redes de trabalho com partilha de recursos e de conhecimento.

ATIVIDADE 5 – Criação e funcionamento de Comunidade Internacional do Movimento Associativo Popular (CIMAP)

  • – Acesso direto a informação específica e às boas práticas das Coletividades de outros países.
  • – Potenciar e partilhar a utilização dos recursos das organizações dos diferentes países.
  • – Criar atividades inovadoras e/ou sustentáveis que beneficiem as populações que as Coletividades servem. 
  • – Promover estudos e projetos conjuntos para um maior conhecimento da Economia Social dos países envolvidos.
  • – Promover eventos, encontros de cariz cientifico, de âmbito internacional.
  • – Estimular e apoiar parcerias com entidades de outros países, para o desenvolvimento da Economia Social.

Com a globalização a partilha do conhecimento ficou à distância de um clique. As Coletividades espelham a cultura, as tradições e são um espaço lúdico de encontro das populações. A criação de redes de trabalho, de troca de informação, de conhecimento, de boas práticas com organizações congéneres de outros países tem muitos benefícios.

Numa Fase I a CIMAP será europeia (até 2020), podendo depois passar a mundial.

Numa perspetiva de evitar a criação de uma estrutura pesada e com custos fixos elevados, nesta Fase, a CIMAP funcionará, sobretudo, online.

 As entidades fundadoras foram a CONFEDERAÇÃO DAS COLECTIVIDADES e a Federación Española de Agrupaciones de Folclore – FEAF. 

A ferramenta base é a Plataforma MAP, numa área autónoma e de acesso reservado. 

ATIVIDADE 6 – Inovação e Modernização através das TIC para a Capacitação da CONFEDERAÇÃO DAS COLECTIVIDADES

Uma ferramenta de Gestão Documental.  Definem-se os workflows, de circulação da informação e arquiva-se num gestor de ficheiros.

Esta ferramenta faz a ligação aos Gabinetes e ao sistema de workflows; produz relatórios para análise quantitativa da documentação, nomeadamente por classificação do tipo e datas.

No futuro, após 2020, esta ferramenta poderá ser alargada às Estruturas, com uma área específica para cada entidade sendo um serviço da CONFEDERAÇÃO DAS COLECTIVIDADES e em que haverá pastas partilhadas, para facilitar a disseminação da informação e uma cultura de proximidade.  

ATIVIDADES 7 E 8 – FORMAÇÃO

Capacitar Dirigentes, técnicos/as e administrativos/as para se envolverem em projetos e reforçarem a sua capacidade de atendimento e prestação de serviços às filiadas, implica desenvolver competências comportamentais, comunicacionais e sociais. 

A Formação foi organizada em 4 grandes áreas + 1:

  • – Desenvolvimento Pessoal e Organizacional.
  • – Formação Financeira.
  • – Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).
  • – Formação Base 
  • – Formação Pedagógica de Formação (DAVs e Gabinetes)

Interessa à CONFEDERAÇÃO DAS COLECTIVIDADES possuir uma Bolsa de Formadores/as Certificados/as interna para acorrer a um leque amplo de necessidades de Formação junto das suas filiadas e, igualmente ser capaz de prestar serviços à comunidade, nomeadamente oferecendo programas de Formação dentro do Associativismo e das organizações da Economia Social. 

Por outro lado, essa certificação vai valorizar os/as seus/suas DAVs, Técnicos/as e Administrativos/as, concorrendo para a sua valorização pessoal e profissional. 

CURSO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM GESTÃO E DINAMIZAÇÃO ASSOCIATIVA

No âmbito da Operação de Capacitação Nº POISE 288 e do protocolo com a Universidade Lusófona, foi criado o CURSO de ESTUDOS AVANÇADOS EM GESTÃO E DINAMIZAÇÃO ASSOCIATIVA.

Perguntas Frequentes sobre o CURSO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM GESTÃO E DINAMIZAÇÃO ASSOCIATIVA

Quem se pode candidatar?

  • Todos/ass os/as dirigentes inscritos/as no Programa de Capacitação Nº POISE 288.

Os trabalhadores/as da CPCCRD podem candidatar-se?

  • Sim, os/as trabalhadores/as que são dirigentes associativos/as podem candidatar-se, tal como qualquer outro/a dirigente.
  • Os/as trabalhadores/as que não são dirigentes associativos/as poderão frequentar os módulos em que sobrem vagas.

Em termos de grau académico, há alguma restrição para me poder candidatar?

  • Não há qualquer restrição no que se refere a grau académico mínimo.

Como está organizado o Curso?

  • O curso é constituído por 12 módulos + 1 (Módulo Métodos).
  • 12 módulos têm a duração de 7 horas presenciais + 3 horas à distância. Ou seja, um total de 10 horas por módulo.
  • O módulo Métodos tem a duração de 7 horas.
  • No final de cada módulo, até à véspera do módulo seguinte, o/a Dirigente Formando/a deve entregar via e-mail uma síntese sobre a matéria ministrada.
  • No final do curso, para obtenção do Certificado de Aproveitamento, o/a Dirigente Formando/a tem de entregar um trabalho sobre um tema à sua escolha, relacionado com um dos doze módulos ministrados. Este trabalho final deverá ter entre 10 a 15 páginas. 
  • O módulo Métodos não implica a entrega de qualquer síntese nem será tema para o trabalho final.

Posso frequentar apenas alguns módulos do Curso?

  • Sim, é possível frequentar apenas alguns módulos do curso. Neste caso, será emitido um Certificado de Frequência por cada módulo que frequentar e não será necessária a elaboração de nenhum trabalho.

Qual o horário do Curso?

  • As aulas são aos sábados, em semanas alternadas.
  • O horário é das 10:00 às 18:00 horas; com pausa para almoço das 13:00 às 14:00 horas (os restantes intervalos são combinados com os/as professores/as).
  • Local das aulas, instalações da Universidade Lusófona do Porto e de Lisboa

O que devo fazer para manifestar o meu interesse em me candidatar ao Curso?

  • Deve enviar um email para geral@cpccrd.pt 

Há limite de vagas?

  • Sim. Para o curso completo, 13 vagas (mais 2), para para o Porto e para Lisboa.
  • Frequência por módulos, mais 5 vagas, por módulo.

Ao manifestar o meu interesse em me candidatar fico automaticamente inscrito/a?

  • -Não. As candidaturas serão alvo de um processo de seleção. 

Como vou saber se fui aceite no Curso?

  • Todos/as os/as candidatos são informados/as via email. 

IDENTIFICAÇÃO DO/A DIRIGENTE PARA INSCRIÇÃO NA OPERAÇÃO DE CAPACITAÇÃO

Nome completo__________________________________________________________________________________

Residente em  ___________________________________________________________________________________

_________________________________________________ Localidade__________________________________

Código Postal___________-__________ Localidade Postal____________________________

Data de nascimento ______/______/_______ Natural de__________________________________

Cartão do Cidadão Nº_______________________________ Válido até __________/___________/___________ 

Contribuinte Nº____________________________________ NISS Nº____________________________________

Ensino Básico 9º Ano Ensino secundário (inc.) 12º Ano  Licenciatura Curso________________________________________

Mestrado ________________________________________ Doutoramento CCP (antigo CAP) sim não

Telemóvel __________________________________ Telefone fixo______________________________________

E-mail__________________________________________________________________________________________

SITUAÇÃO PROFISSIONAL DO/ DA DIRIGENTE

No ativo □ Desemprego □ Reforma □ Estudante □

Profissão atual ___________________________________________________________________________________

Última/mais recente Profissão exercida_______________________________________________________________

IDENTIFICAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO

Nome da Associação______________________________________________________________________________

Função (Órgão Social a que pertence) ________________________________________________________________

Mandato de __________________ a _________________ Nº Contribuinte da Associação______________________

Total de dirigentes nos Órgãos Sociais _______________

Telefone___________________________________ Telemóvel_________________________________________

E-mail__________________________________________________________________________________________

Assinatura conforme documento de identificação ______________________________________________________

Data________________________

AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DOS DADOS PESSOAIS E IMAGEM NO ÂMBITO DA OPERAÇÃO DE CAPACITAÇÃO

Eu_____________________________________________________________________________________________

Portador(a) do Cartão do Cidadão Nº__________________________________________ (incluir 4 últimos carateres)

declaro para os efeitos previstos no disposto no art.º 13.º do Regulamento Geral de Proteção de Dados (EU)2016/679 do P. E. e do Conselho de 27 de abril (RGPD) prestar, por este meio, o meu consentimento para o tratamento dos meus dados pessoais acima indicados, à Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto, Pessoa Coletiva n.º 500852340, com sede Rua da Palma, 248/250, 1100-394, Lisboa, a qual deverá manter nos respetivos sítios eletrónicos, em cada momento, a identidade das pessoas responsáveis pelo tratamento, com a finalidade de integração na sua base de dados de dirigentes e de registo na Plataforma Portugal2020 – Operação Nº POISE 288, pelo período máximo de 5 anos, salvo no caso de, por minha vontade ou por motivo de força maior, deixarem de estar reunidas as condições necessárias para a minha participação na referida operação, sendo que, neste último caso, os referidos dados poderão ser conservados para efeitos de investigação científica ou histórica ou fins estatísticos, sem limite temporal, desde que anonimizados, pseudonimizados ou cifrados de forma a deixarem de revestir a natureza de dados pessoais para os efeitos da lei.
A presente declaração constitui título bastante para conferir autorização para o tratamento dos meus dados pessoais no âmbito da Operação Nº POISE 288, sendo a sua base jurídica contratual.
Tomei conhecimento de que a falta de consentimento para o tratamento dos meus dados pessoais terá como resultado a minha inelegibilidade para a referida operação.
Os dados pessoais cujo tratamento se autoriza pela presente declaração não poderão servir para quaisquer fins de comercialização direta ou outros de natureza comercial, incluindo a definição de perfis ou para quaisquer outras decisões automatizadas e poderão ser objeto de portabilidade nos termos do art.º 20.º do RGPD.
A Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto, compromete-se a cumprir o disposto na Lei de Proteção de Dados Pessoais, bem como na demais legislação aplicável, designadamente, a não copiar, reproduzir, adaptar, modificar, alterar, apagar, destruir, difundir, transmitir, divulgar ou por qualquer outra forma colocar à disposição de terceiros os dados pessoais, abstendo-se de qualquer uso fora do contexto, quer em benefício próprio, quer de terceiros.
Mais declaro, nos termos e para os efeitos do disposto nos artigos 13.º a 22.º do Regulamento Geral de Proteção de Dados (EU)2016/679 do P. E. e do Conselho de 27 de abril ter tomado conhecimento dos seguintes direitos que me assistem relativamente aos meus dados pessoais constantes da referida Base de Dados:

a. Retirar o meu consentimento relativamente ao tratamento efetuado dos meus dados pessoais;
b. Opor-se à continuação do tratamento dos meus dados pessoais;
c. Solicitar ao responsável pelo tratamento dos meus dados pessoais o acesso aos mesmos, bem como a respetiva retificação ou apagamento, incluindo o exercício do “direito a ser esquecido”;
d. Apresentar queixa à CNPD, obtendo, para o efeito, junto da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto, os contactos da mesma;
e. Ser informado(a), a pedido, sobre as finalidades do tratamento, as categorias de dados envolvidos, a identidade dos destinatários a quem tenham sido divulgados e o período de conservação dos meus dados pessoais;
f. Ser informado(a) sobre quais os dados pessoais em fase de tratamento e quaisquer informações disponíveis sobre a origem desses dados, por via eletrónica, caso não seja o presente documento. 

Assinatura conforme documento de identificação_______________________________________________________

Data________________________

Comments are closed.

Copy link
Powered by Social Snap